sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Arte Chinesa









Fotos que retratam alguma
da interessantíssima arte Chinesa.
Estas imagens foram feitas algures,
numa galeria na cidade Espanhola de Salamanca.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Amares moda 09






Um evento de moda é sempre um evento interessante.
Algumas figuras do convencionalmente aceite como
pessoas da moda, tiveram reunidos num evento organizado
pelo Município de Amares em parceria com o comércio local,
tendo com isso conseguido trazer alguma cor e movimento,
ao sempre pacato ambiente de uma Vila do interior.
Um reparo para o espaço, sedo para mim um espaço interessante para o efeito,
deveria ter havido um maior cuidado com a elaboração do mesmo
Coisas que melhorarão no futuro, espero eu.
Os meus parabéns à Organização.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Albufeira de Caniçada.













A Barragem da Caniçada
está localizada nos concelhos de Terras de Bouro
e de Vieira do Minho, na bacia hidrográfica do rio Cávado,
no norte de Portugal. A sua construção foi concluída em 1955.
A barragem tem uma altura de 76 m e um comprimento do coroamento de 246 m.
Tem um volume de betão de 90 000 m³,
e uma capacidade máxima de descarga de 1 700 m³/s.
É uma barragem do tipo arco.
A potência instalada é 60 MW, produzindo em média 346 GWh/ano.

PNPG










O Parque Nacional da Peneda-Gerês,
é o único parque nacional de Portugal
e situa-se no extremo nordeste do Minho,
numa área total de 72 000 hectares.
É uma das maiores atracções naturais de Portugal,
pela rara e impressionante beleza paisagística e
pelo valor ecológico e variedade de fauna
(veados, cavalos selvagens, lobos, aves de rapina)
e flora (pinheiros, teixos, castanheiros,
carvalhos e várias plantas medicinais).
Inclui trechos da estrada romana que ligava Braga a Astorga,
conhecida como Geira.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Abadia


A Abadia de Bouro situa-se no concelho de Amares.
A história deste povoado e do seu santuário é quase a mesma
que a historia do convento de Bouro.
Conta a lenda, que por ocasião das guerras com os árabes,
os religiosos do convento de Bouro se retiraram dali,
ficando apenas na capela de São Miguel de Abadia um eremita de habito negro,
a quem veio depois juntar-se Pelayo Amado,
fidalgo da corte do conde D. Henrique, que procurava a solidão,
por lhe ter morrido sua mulher.
Certa noite, segundo conta a lenda,
viram os dois cenobitas na garganta da serra uma luz misteriosa e viva,
e para ai se dirigiram muito curiosos.
Encontraram então no sítio uma imagem da Virgem,
numa escultura feita em pedra,
e desde logo pensaram na construção de uma capela.
Juntaram-se-lhe depois outros eremitas, e assim se começou o convento,
que D. Afonso I engrandeceu, concedendo-lhe muitas rendas
e o senhorio do couto de Bouro, em 1148.
A profissão dos eremitas realizou-se em 1159,
mas alguns anos mais tarde,
sendo muito desabrigado e áspero o local da Abadia;
resolveram aproximar-se mais da margem do rio Cavado
e sobre ela fundaram o actual convento, para onde transferiram a imagem;
mas a Virgem teimava sempre em fugir para a Abadia,
realizando-se o milagre, diz a lenda, da Senhora,
por mais diligências dos frades, desaparecer do convento,
e reaparecer na Abadia.
Foi esta a origem do convento de Bouro e do Santuário.